Como diagnosticar ?

Como diagnosticar?

CRITÉRIOS DE DIAGNÓSTICO PARA PERTURBAÇÃO DE HIPERACTIVIDADE E (DSM IV – TR (2002))

A.(1) ou (2):

(1) Seis (ou mais) dos seguintes de falta de atenção devem persistir pelos menos durante seis meses com uma intensidade que é desadaptativa e inconsciente, em relação com o nível de .

Falta de Atenção:

(1-a) Com frequência não presta atenção suficiente aos pormenores ou comete erros por descuido nas tarefas escolares, no ou noutras lúdicas;

(1-b) Com frequência tem dificuldade em manter a atenção em tarefas ou actividades;

(1-c) Com frequência parece não ouvir quando se lhe dirigem directamente;

(1-d) Com frequência não segue as instruções e não termina os trabalhos escolares, encargos, ou deveres no local de trabalho (sem ser por oposição ou por incompreensão das instruções);

(1-e) Com frequência tem dificuldade em organizar tarefas ou actividades;

(1-f) Com frequência evita, sente repugnância ou está relutante em envolver-se em tarefas que requeiram um esforço mental mantido (tais como trabalhos escolares ou de casa);

(1-g) Com frequência perde objectos necessários a tarefas ou actividades (por exemplo brinquedos, exercícios escolares, lápis, livros ou ferramentas);

(1-h) Com frequência distrai-se facilmente com estímulos irrelevantes;

(1-i) Esquece-se com frequência das actividades quotidianas.

OU

2) Seis (ou mais) dos seguintes sintomas de hiperactividade- persistiram pelo menos durante 6 meses com uma intensidade que é desadaptativa e inconsciente com o nível de desenvolvimento.

Hiperactividade

(2-a) Com frequência movimenta excessivamente as mãos e os pés, move-se quando está sentado;

(2-b) Com frequência levanta-se na sala de aula ou noutras situações em que se espera que esteja sentado;

(2-c) Com frequência corre ou salta excessivamente em situações em que é inadequado fazê-lo (em adolescente ou adultos pode limitar-se a sentimentos de impaciência);

(2-d) Com frequência tem dificuldades para jogar ou dedicar-se tranquilamente a actividades de ócio;

(2-e) Com frequência “anda” ou só actua como se estivesse “ligado a um motor”;

(2-f) Com frequência fala em excesso.

Impulsividade

(2-g) Com frequência precipita as respostas antes que as perguntas tenham acabado;

(2-h) Com frequência tem dificuldades em esperar pela sua vez;

(2-i) Com frequência interrompe ou interfere nas actividades dos outros (ex. intromete-se nas conversas ou jogos).

B. Alguns sintomas de hiperactividade-impulsividade ou de falta de atenção que causam surgem antes dos 7 anos de idade

C. Alguns défices provocados pelos sintomas estão presentes em dois ou mais contextos [por exemplo, escola (ou trabalho) e em casa].

D. Devem existir provas claras de um défice clinicamente significativo do funcionamento social, académico ou laboral.

E. Os sintomas não ocorrem exclusivamente durante uma Perturbação Global de Desenvolvimento; Esquizofrenia ou outra Perturbação Psicótica e não são melhor explicadas por outra Perturbação Mental (por exemplo: Perturbação do Humor, Perturbação de , Perturbação Dissociativa ou Perturbação de )

Codificação baseada no tipo:

Perturbação de Hiperactividade com Défice de Atenção, Tipo Misto: se estão preenchidos os critérios A1 e A2 durante os últimos seis meses;

Perturbação de Hiperactividade com Défice de Atenção Tipo Predominantemente Desatento: se esta preenchido a critério A1 mas não o critério A2 durante os últimos seis meses;